sábado, 8 de junho de 2013

CONVITE: 10º ANIVERSÁRIO POETRIA [10-06-2013]





Caríssimos Amigos,

Ao cabo de 10 anos de existência/resistência, a Poetria tem o prazer de convidar todos os que nos acompanharam e ajudaram de algum modo a sobreviver, a celebrarem connosco esta data, no próximo dia 10/6/2013.

Este acontecimento terá lugar no espaço onde a Poetria está instalada, as Galerias Lumière (r. das Oliveiras, 70 r/c) agora renovadas, das 17 às 22h, com a apresentação do seguinte programa:

- Feira do livro de Poesia e Teatro;
- Exposição de cartazes relativos aos eventos realizados pela Poetria ao longo destes 10 anos;
- Leitura de poemas;
- Mini concerto musical, ao vivo;
- "Parabéns a você", com bolo Poetria e champanhe (noblesse oblige!)

Muito nos honrariam com a vossa estimada presença.

POETRIA



quarta-feira, 5 de junho de 2013

[Vagas ainda abertas] Oficina de Expressão Dramática /Teatro - 06 JUNHO




Informamos que ainda há vagas para a Oficina de Expressão Dramática /Teatro a realizar pela Poetria em parceria com a Galeria Olga Santos nos sábados 8,15,22 de Junho e no sábado dia 06 de Julho de 2013 entre as 15h e as 16:30h., na Pç. da República, 168, 1º frente - Porto.

 A expressão dramática e o teatro serão ferramentas excepcionais neste processo. Através delas, as crianças adquirem maior sensibilidade pessoal, social e artística, melhor capacidade de comunicação e reflexão, abrindo assim caminhos que lhes permitirão tornar-se, no futuro, seres mais estruturados intelectual e emocionalmente, numa palavra, cada vez mais humanos, cada vez mais felizes.
PROGRAMA:
 
OFICINA DE EXPRESSÃO DRAMÁTICA / TEATRO
Destinatários: Crianças dos 6 aos 12/14 anos
Informações: 222023071 / 968707303
 
Inscrições abertas!
- Incentivar a auto-estima, auto-valorização e confiança em si e no outro 
Educar para os valores da partilha, do respeito, da atenção para com o outro e da aceitação da diferença
Cumprimentos
POETRIA


Esta oficina visa melhorar o nosso mundo de amanhã a partir dos mundos das nossas crianças de hoje.
Com esta oficina pretende-se construir e desenvolver um espaço e um tempo em que cada criança possa explorar, criar e reinventar tudo o que constitui o mundo dentro e fora de si, para o conhecer melhor e dele melhor (usu)fruir.
  
Dias: Sábados 8, 15, 22 de Junho e 6 de Julho
Horário: das 15h às 16:30h
Local: Galeria Olga Santos - Pç. da República, 168 1º frente - Porto
Monitora: Mariana Lemos
Preço: 48,00€
  
   
Principais objectivos:
- Estimular a consciência de si e do outro - Estimular as relações interpessoais
- Fomentar a compreensão do mundo e do quotidiano da criança
- Desenvolver a capacidade de expressar, com autonomia, uma visão crítica do mundo
- Favorecer o pensamento crítico
- Potenciar um desenvolvimento emocional positivo, saudável e equilibrado
- Fomentar a cooperação na criatividade colectiva
- Potenciar a actividade espontânea da criança
- Estimular a capacidade de construção e criação artística sozinho e/ou em grupo
- Adquirir a consciência do corpo
- Desenvolver a expressão corporal como meio de comunicação
- Adquirir e desenvolver capacidades no domínio da expressão vocal, gestual e corporal
- Compreender jogos de comunicação verbal e não verbal     Desenvolver a capacidade de expressão e comunicação verbal e não-verbal
 - Contribuir para a apreciação criativa das possibilidades de utilização do corpo e da voz
- Estimular a imaginação, a criatividade e a capacidade de exploração de recursos (ser capaz de criar personagens, histórias ou jogos de imaginação) 
- Desenvolver a capacidade de improviso
- Trabalhar a concentração e a capacidade de escuta 
- Desenvolver o jogo simbólico
- Explorar a dimensão da palavra na sua vertente escrita, lida, falada e cantada
- Fomentar a capacidade de memorização
- Estimular a capacidade de observação
- Contribuir para o desenvolvimento de variadas capacidades cognitivas, estéticas e técnicas
- Promover o desenvolvimento global da criança (emocional, mental, social e artístico)

Actividades:
- Jogos de apresentação
- Conversas e discussões de temas em pequeno e grande grupo    
- Exercícios de relaxamento
- Exercícios de respiração
- Exercícios de voz
- Exercícios de expressão facial
- Exercícios de interiorização do esquema corporal 
- Exercícios de expressão corporal
- Jogos de movimento
- Jogos/Exercícios de concentração 
- Jogos de escuta 
Exercícios/jogos de improvisação
- Jogos de contacto e aproximação ao outro
- Jogos de exteriorização de pensamentos e emoções
- Jogos de sensações
- Jogos de pantomima
- Jogos com máscaras
Exercícios de leitura expressiva e interpretação
- Jogos de criação e interpretação de histórias
- Jogos Dramáticos (interpretação) – dramatização individual e colectiva
  

segunda-feira, 27 de maio de 2013

sábado, 25 de maio de 2013

LIVRO DO DIA

Obra breve - Fiama Hasse Pais Brandão

PVP - 40,00€. Preço de Feira - 20,00€


sexta-feira, 24 de maio de 2013

A ARTE DE DIZER POESIA: RUI SPRANGER, PORTO, ADUELA



No âmbito do ciclo "A arte de dizer poesia", a Poetria vai realizar mais uma sessão no próximo dia 29/5, no Aduela-bar, rua das Oliveiras, 36 (frente ao Teatro Carlos Alberto), Porto, pelas 22h.


O artista convidado será Rui Spranger, a VOZ por excelência, na interpretação da palavra poética.



À voz juntam-se muitos talentos deste grande divulgador da poesia, que diz e partilha na mítica cave do Pinguim onde, todas as segundas feiras, a noite se transfigura em sonho.



Esperamo-vos no Aduela às 22h do dia 29. Uma oportunidade inesquecível de ouvir grande poesia, por um grande intérprete, num espaço cheio de boas vibrações.



POETRIA

FEIRA DO LIVRO NA POETRIA (PORTO)

Estimados clientes,

Enquanto decorre a Feira do Livro de Lisboa (23 de Maio a 10 de Junho), a Poetria vai ter a sua própria Feira do Livro, com descontos de 20% em todos os livros de poesia e teatro.

Mas também terá os livros das editoras Documenta, Sistema Solar a Pedra Angular, em todas as áreas, incluindo as novidades, igualmente com 20% de desconto.

Haverá também "o livro do dia" com 50% de desconto. Vejam na montra, no blog, no site e no facebook.

E por cada compra de 12€ ou mais, oferecemos uma t-shirt Poetria. O bom tempo está aí, e estas t-shirts são lindas!

POETRIA


Livraria Poetria
www.livrariapoetria.com

LIVRO DO DIA (50%)


PVP: 40,00€ - preço: 20,00€

sábado, 2 de março de 2013

MENSAGEM - É a Hora!


Mensagem, de Fernando Pessoa
Memorizado e recitado integralmente numa encenação inédita por Nuno Meireles

No próximo dia 5/3/2013, pelas 21,30 no Café Lusitano - r. José Falcão, 137 - Porto

As palavras deste poema, publicadas em 1934, ainda fazem sentido e farão especial sentido agora, para nós. Porque entre muitas coisas são uma revisão (poética) e uma exortação (igualmente poética). Uma revisão do que fizemos e de como aqui chegámos e uma exortação a que façamos mais, sejamos mais, e no tempo em que vivemos. Seja conquistar o Mar, seja conquistar quem somos.

Faz especial sentido repetir estas palavras hoje, e de cor, porque o interior de um homem é a última dimensão e o último reduto que nos resta, enfraquecidos como estamos de ânimo, de sentido e de tudo.

A Mensagem não é um manifesto político nem uma lição de história, não é um tratado sobre símbolos nem até o melhor que Pessoa escreveu, é antes francamente um conjunto ora belo, ora misterioso de histórias e pessoas. Em 44 poemas dá voz a um Portugal de poetas, reis, mitos, monstros e pobres coitados.

E - mais importante que tudo - diz-nos que nós somos o rosto com que a Europa fita o futuro. Não a sua cauda.

Talvez precisemos que nos digam outra vez que somos grandes, que tudo vale a pena, que um homem é todo um povo como o homem do leme diz depois de temer e tremer"Sou um povo que quer o mar que é teu".

É a hora.

Nuno Meireles

Duração aproximada: 60 min.
Entrada: 6,00€ - com direito a acesso a sorteio de uma caixa-gourmet contendo: edição especial da "Mensagem + garrafa de vinho tinto Douro Azul
Informações: 968707303

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

PEDRO LAMARES - A arte de dizer poesia


A Poetria realiza mais uma sessão de poesia no próximo dia 27, pelas 22h, noAduela - Taberna-bar, um encantador espaço na rua das Oliveiras, 36 (a 30 metros da Poetria), apresentada por Pedro Lamares, acompanhado pelo músico Rui David (guitarra e canto)

PEDRO LAMARES pertence a uma linhagem de grandes intérpretes de poesia, verdadeiros príncipes da palavra poética. Esta sessão não é para velhos nem novos, é para todos, os que gostam e os que não gostam de poesia. Os que gostam  experimentarão, ainda com mais intensidade, o seu fulgor. Os que não gostavam, lamentarão o tempo perdido e quererão sempre mais.

Muitos e muitos virão. Seria absurdo perder esta oportunidade. Passem a palavra.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

gonçalo. m. tavares


BREVES NOTAS SOBRE CIÊNCIA

BREVES NOTAS SOBRE O MEDO

BREVES NOTAS SOBRE LIGAÇÕES


http://www.livrariapoetria.com/gestao/index.php

1ª Mostra de Colectivos Poéticos

“OS POEMAS TÊM VENENO NA BOCA” 

18 de Janeiro de 2013 / 21h30 / Hotel Infante Sagres

Co-produção: Poetria / Metamorphosis
Concepção: Patrícia Vaz

A Poetria e a Metamorphosis apresentam a 1.ª Mostra de Colectivos Poéticos, com o objectivo de criar uma plataforma própria para a divulgação dos inúmeros projectos de grupos ligados à arte de dizer poesia em Portugal.

Queremos revelar e celebrar vozes múltiplas para versos infinitos, procurar ritmos vocais e encontrar sinergias poéticas numa experiência coral de partilha permanente da nossa poesia.

A Mostra irá acontecer no dia 18 de Janeiro, às 21h30, no Hotel Infante Sagres, com a presença do Júri da Mostra formado pelo poeta e diseur Daniel Maia-Pinto Rodrigues, pelo actor, diseur e dinamizador cultural Rui Spranger e pelo diseur e organizador de eventos poéticos Isaque Ferreira. Para além da eleição de um Colectivo pelo Júri, também o público se irá pronunciar e escolher o seu favorito.

O programa da noite inclui a apresentação dos cinco Colectivos Poéticos que concorreram:

CANTO DE ALCIPE
PALAVRAS VIVAS
PORTUGAL POÉTICO
SOPRO
SUJEITAS AO VERBO

O serão contará ainda com um momento musical a cargo da jovem soprano Ana Sofia Pousa, acompanhada ao piano por Sara Caldeira.

Contamos com a vossa presença para ouvirem poesia, descobrirem novos talentos e apoiarem o vosso Colectivo preferido! Não faltem!

LOCAL: Hotel Infante Sagres (Praça D. Filipa de Lencastre, n.º 62 – Porto – Junto ao Túnel de Ceuta)
BILHETE: 3,50 Euros 

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Oh, se velhas gotas de sangue pudessem falar...


Não sei o que significa enterrar os mortos;
se morreram,
não podem escapar, estão aqui.
Nada está ao abrigo da vida
seja sobre a terra,
seja no ventre da pedra.

Pádua Fernandes
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=17&l=2782

Cão Celeste Nº 2


Já chegou a "Cão Celeste" nº 2. Está um pouco mais fina mas igualmente densa e algo abrupta como qualquer "pedrada no charco" que se preze. Neste caso, crítica literária lúcida e com muita poesia dentro. Eis uma pequena pérola, assinada por Jorge Roque (mas poderia muito bem ser de Álvaro de Campos: "Olha-te nos olhos: tudo o que te resta é a tua derrota. Cuida bem dela, estima-a como preciosa companheira que é".

http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=8&s=155&l=2781

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Evitamos o toque, há risco de contágio


tão cansada de engolir
comprimidos sem dormir
do meu sexo que se embota
do coração que se esgota
esticado na horizontal
sob uma agulha sensual
e a sopa na panela
embacia-me a janela
e sorvo mas sem palato
sem ter forças para o salto

Margarida Vale de Gato
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=5&l=268

Pessoas, bichos, coisas e actos


Quando estamos cansados
deitamos o corpo
e adormecemos

às vezes não

procuramos outra mão
outros olhos
que nos limpem a fadoga
e evitem o sono
que nos vem antigo

quando estamos cansados
podemos erguer o corpo
e acordar
e morrer acordados
sem cansaço

Mário-Henrique Leiria
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=5&s=115&l=2767

Amor, ódio, revolução


As cartas, essas, são sempre de amor - inquieto, muitas vezes oposto ao mundo, como é timbre do autor. Dirigem-se a uma misteriosa Isabel...

http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=5&s=113&l=2768

CALL FOR PAPERS: Colóquio Tinha Paixão


"CALL FOR PAPERS: COLÓQUIO “TINHA PAIXÃO?” – 3ª edição

Entre abril e maio de 2013 realizar-se-á a terceira edição do Colóquio “Tinha Paixão?” - literaturas brasileira e africana.
Este ano, para além do cartaz fixo, as organizadoras decidiram dar espaço à participação voluntária de jovens investigadores (entre os 18 e os 35 anos), dentro da área dos Estudos Africanos, que desejem partilhar a sua paixão com o público.

A proposta é que os interessados enviem até ao dia 30 de novembro um resumo, com o máximo de 500 palavras, da comunicação que pretendem apresentar. Convém que a escolha recaia sobre um autor africano que ainda não tenha sido abordado em edições anteriores do “Tinha Paixão?”. A par dos resumos, pedimos aos interessados que refiram os seguintes dados:

- Nome completo;
- Data de nascimento;
- Ocupação;

Os textos deverão ser enviados para tinhapaixao@live.com.

Para mais informações sobre o Colóquio:
http://www.tinhapaixao.blogspot.com/
http://www.facebook.com/tinhapaixao/

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Desfloras-me desfloro-te


Deus não me deu
um namorado
deu-me
o martírio branco
de não o ter.

Adília Lopes
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=17&l=1658

As imagens e as memórias


Musgo do presépio

Infância, musgo do presépio.
Que numa ruinosa pedraria recolhíamos.
A humidade doce em corpo agreste.
E que, em concha e fila indiana, seguia para acomodar,
de barro, a Sagrada Família. Que se acabou.

Pedro Mexia
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=17&l=275

Voltemos à contagem dos erros

Profissão de pé

Na ausência duma razão para estar aqui,
podemos sempre contar com o corpo,
o algodão das palavras, este copo de vinho,
o desafio da virtude no asilo das artes.

Ou, se quiseres, um cibo de erva
na mortalha para melhor contemplação
dos limites, da caca de pombo estrelada
nas telhas, abaixo de nós.

Que nos falta para viver uma festa?
Quase nada, reconhece. Talvez companhia,
um pouco menos de ruído, não sei,
cancelar de vez a assinatura do mundo.

José Miguel Silva
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=17&l=1657

Do erotismo às vísceras


Fascinam-me essas ondas, bem como uma pedra às mãos
de quem procura abrir nela um sorriso, o céu
que neste poema sei subentendido e apenas
aos olhos de um rapaz a paixão trouxe num brevíssimo
crepúsculo antes de ganhar velocidade e, nos meus ombros,
as mãos desse rapaz quase de rapariga prontas
a voar.

Luís Miguel Nava
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=5&s=112&l=2769

terça-feira, 23 de outubro de 2012

A noite cai sem estrelas no coração vazio


No more sunshine
No more blue sky

Only sadness and disgrace

Tne sun rises in the beach,
the waves say me

Juliet, good.bye forever
no more, my beloved Romeo
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=5&l=2765

Dívida de coração


Candeeiro da noite, meu tão sereno confidente,
que nunca me puseste a nu o coração;
(talvez essa nudez nos perdesse); mas o declive
da vertente sul ficou ligeiramente iluminado.

Permaneces, ó candeeiro de estudante,
quem faz o leitor, de te
parar, admirado, e perturbar-se
com o seu livro, olhando-te.

(Tua simplicidade até pode diluir um Anjo)
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=2&s=38&l=1777

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Trabalho de menino é pouco, quem no despreza é louco


Um texto urgente q.b. para que se inicie logo na própria capa do livro.
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=5&s=134&l=2763

Colectivos Poéticos


A data limite para a inscrição dos Colectivos Poéticos foi alterada para o dia 26 de Outubro 2012. Pedimos aos interessados que se inscrevam sem demora.


1.ª MOSTRA DE COLECTIVOS POÉTICOS

“OS POEMAS TÊM VENENO NA BOCA”

A Poetria e a Metamorphosis apresentam a 1.ª Mostra de Colectivos Poéticos, com o objectivo de criar uma plataforma própria para a divulgação dos inúmeros projectos de grupos ligados à arte de dizer poesia em Portugal.

Queremos revelar e celebrar vozes múltiplas para versos infinitos, procurar ritmos vocais e encontrar sinergias poéticas numa experiência coral de partilha permanente da nossa poesia.

Os Colectivos, cuja inscrição seja aceite, irão participar num grande recital poético, ainda em 2012, subordinado ao verso de Isabel de Sá “Os poemas têm veneno na boca”.

Lançamos o desafio a todos os grupos, mais ou menos formais, que se juntam em torno da poesia, para também se juntarem a nós nesta aventura poética.

Inscrições:

    .  Colectivos com um mínimo de 2 elementos e um máximo de 15 elementos;

  • Envio do nome, número de elementos e ficheiro com uma leitura pelo Colectivo;
          . Inscrição no valor de 10,00 Euros a liquidar directamente na Livraria Poetria.

 Para mais informações, contactar projectospoetria@gmail.com
 Co-produção: Poetria / Metamorphosis

sábado, 20 de outubro de 2012

O poeta não morreu.


para o Manuel António Pina

é certo que por vezes conversando
lutavas contra luas e olhos baços
semi-cerravas dextras as palavras tuas
como se nos morresses aos poucos
de temor e de ternura
inexplicadas

porém
acostumados ao vaivém do luto
que os teus poemas acendiam
nas duas extremas
do corredor
e em todas as portas do labirinto
ficamos sem saber quem se cansou
da fadiga que te trazia
violentamente inalterado
à nossa presença

pudera eu escrever
com a tinta do frio nas costas
e directamente sobre o tampo polido
de uma mesa do café onde esperar
esse tempo amigo que tu eras
passado a limpo

mas haja noite
haja mais noite
e nós crianças
em perda de sono
envelhecendo cada um na sua voz



Regina Guimarães
a 19 de Outubro de 2012

terça-feira, 16 de outubro de 2012

O triplo medo do amor


Nós e o mundo palpitante vamos passando
Por entre almas de homens que vacilam e cedem
Como pálidas águas na sua corrida de Inverno,
Sob estrelas que passam, espu,a do céu,
Vidas neste rosto solitário.

W. B. Yeats
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=2&s=59&l=2761

A Grécia não, que está desperta


Para que servem poetas se não podem
Nem delirar, se os textos do delírio
Serão tomados pelo seu contrário?

Hélia Correia
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=5&l=2760

Lua deitada, marinheiro em pé


A ilha não existe na cortina mapa-múndi do banheiro. Abre
a torneira da água
quente, depois a fria
segue viagem por continentes e desertos, vai
por uma linha de fronteira ao supor da espuma de sabão.

João Miguel Fernandes Jorge
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=17&l=2759

Envelheço. É simples

Se pouso as mãos na tua pele
imediatos acidentes acontecem. Flores
brotam, pequenos terramotos,
incêndios, talvez revoluções
vertiginosas mudanças do clima
atrasos no horário dos transportes
gente urgente de beijar-se nas ruas. 

Bernardo Pinto de Almeida
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=17&l=2758

Micro-ficção portuguesa


Depois me dirá do Vento e me contarás de que lado é que ele sopra, a velocidade a que ele vai, o que leva no caminho, as terras que ele arrasa, os olhos que lhe faltam, a bocarra que ele tem.

Sara Monteiro, 1961
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=5&s=112&l=2756

A força da poesia da América Latina


Entre tu e eu sempre se opõe,
por muito que tentemos ignorá-lo,
o antigo cortume que dispõe:
"todo o estranho ardor há que acalmá-lo".

Reinaldo Arenas (1943 - 1990)

http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=2&s=42&l=2757

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Poemas ao pai


Enterro a mão na sombra.
E a lâmina invisível
trespassa-me o pulso
até à alma.
O sangue corre para o lugar
onde o teu corpo dorme.
Embebe a terra que te protege
o sono. Lá em cima,
a estrela de alva
vê brotar uma papoila de fogo.

Maria João Reynaud
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=4&s=98&l=1879

Fernando Pessoa nos anos 40


O que fazem realmente os escritores dos anos 40, de que maneira constroem a sua voz? Demarc ando-se de Pessoa? Escrevendo contra ele? Será possível, ou útil, referir os modos de marcação de uma diferença pelos "poetas fortes" desses anos?

http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=5&s=112&l=2755

No coração, talvez


Tome-se um poeta não cansado.
uma nuvem de sonho e uma flor,
três gotas de tristeza, um tom dourado,
uma veia sangrando de pavor.
Quando a massa já ferve e se reforce,
que um amor de poeta assim requer.

José Saramago
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=17&l=2117



Se digo água, beberei? Se digo pão, comerei?


A pequena viajante
morria explicando a sua morte

sábios animais nostálgicos
visitavam seu corpo quente

Alejandra Pizarnik
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=2&s=32&l=898

sábado, 13 de outubro de 2012

Pedro Eiras lê BELADONA

No próximo dia 18 de Outubro, no Café Lusitano - R. José Falcão - Porto:

Pedro Eiras lê BELADONA do seu último livro: BELADONA E OUTROS MONÓLOGOS

"... até bem dentro do século XIX, costumavam deitar, nos olhos das cantoras de ópera antes de subirem ao palco e das jovens antes de lhes apresentarem um pretendente, umas gotas de um líquido destilado da beladona, uma planta da família das Solanáceas, com o que os seus olhos ganhavam um brilho arrebatador, quase sobrenatural, mas elas quase deixavam de poder ver".

UM GRANDE MOMENTO DE LITERATURA, ESSA ARTE SEMPRE PRESENTE NAS NOSSAS VIDAS.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

terça-feira, 9 de outubro de 2012

1ª Mostra de Colectivos Poéticos



Desafiamos todos os COLECTIVOS POÉTICOS deste país a mostrarem os seus talentos!
A Poetria e a Metamorfosis juntam-se para dar a conhecer e (reconhecer) os melhores intérpretes da palavra poética. É um evento inédito que culminará numa festa da Poesia.

Seguem as condições de participação.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Para Antonia Pozzi


Hoje,
deixarei que sopre
um bravo vento
no coração. À janela

das coisas silenciosas,
os cães
hão-de ladrar-me

entre infância e morte
a poesia.

José Carlos Soares
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=17&l=2749

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Rosas de todas as cores!

sáb.13 Outubro das 14h30 às 17h30
"Rosa"

Já um clássico desta Arte de dobrar papel. Para oferecer ou fazer lindos arranjos decorativos.

Esta sessão só se realizará mediante um mínimo de 6 inscrições. 
20€ com material e certificado de participação incluídos.
É necessário inscrição prévia.

Cumprimentos,
Alexandra

Na "Lótus&Lírios", Largo Alexandre Sá Pinto, 44 Porto
222010730  /  917451218

Cicuta dos dias


Não bebas o veneno
que entre nós havia
As flores dos olhos são a cicuta
dos dias

http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=5&l=205

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Os poetas malditos


As preciosas mãos que foram minhas,
Pequeníssimas, sem defeito e elegantes,
Depois desses fatais enganos
E de toda essa pagã quinquilharia...

Paul Verlaine
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=2&s=48&l=2743

Súbito pássaro dentro das nuvens caído...



Procuro a tua mão sem contornos
mas quente;
Os teus olhos na noite desmanchados
mas profundos;
A tua voz por tantos lados repartida
mas pura;
O teu aroma repetido em tanta flor e tanta boca
mas suave;
A tua boca perturbada em tanta agonia tanto riso
mas vermelha;
O teu sorriso desenhado em tanta face
mas inefável;
Os teus passos pisando a terra toda
mas leves;
O teu coração batendo em cada corpo
mas livre...

Maria Valupi



A poesia não rima com a vida

Respiração de prata

És fingimento e lamento,
és fugaz ou és eterno,
verso amado, sofrido,
palavra que ondula na canção,
espírito indeciso,
corpo impopular.
Quem sabe se tens razão?
Respiração de prata
que embala a quadra
e geometriza a rima,
presumível inocência
assumida mea culpa,
palpite venal,
lugar comum doloroso.
A dita contemplação...
Uma barragem arterial.


Tens dono?

Se me souberes responder,
poema, 
ser-te-ei grato.

Mesmo que escrevas:
a poesia não rima com a vida.


Marco Dias
http://www.livrariapoetria.com/livro.php?m=1&s=17&l=2529